domingo, 27 de outubro de 2013

Interrogação

Interrogação nunca conseguiu entender o sentido da vida. Sempre foi deveras questionadora, impaciente, curiosa. Durante sua infância, nunca conseguiu manter relações duradouras com as outras crianças. Era rotulada anormal, estranha, bizarra. Todos debochavam de suas especulações aleatórias. Trocou inúmeras vezes de escola, mas nunca conseguiu se adaptar. Costumava até questionar os professores, o que os deixava muito zangados. 
A adolescência chegou, juntamente com mais um turbilhão de dúvidas. A essa altura, Interrogação já conseguia manter algumas amizades, até arrumou um namorado. Mas quando começou a questioná-lo sobre o porquê de querer beijá-la, bastaram alguns dias para que a relação acabasse. Pobre Interrogação. Ninguém a entendia, ninguém procurava entende-la. Os anos passaram e chegava a hora de Interrogação escolher uma profissão. “Qual caminho seguir?”, pensou ela. Ficou algum tempo fazendo perguntas para si mesma, já que as outras pessoas não davam a mínima para suas dúvidas. 
Em um dia ensolarado quando estava a caminho da escola, Interrogação deparou-se com um acidente envolvendo dois automóveis. Ficou tão cheia de dúvidas sobre como tudo aquilo havia ocorrido, queria realmente perguntar para a primeira pessoa que aparecesse em sua frente. Aproximou-se um pouco até a cena do ocorrido e deparou-se com algo que iria mudar sua vida para sempre. Uma mulher com um bloquinho e caneta na mão estava interrogando o policial que ali estava, fazendo os mais variados tipos de perguntas para entender o que e como havia acontecido. No primeiro momento, Interrogação sentiu-se aborrecida. “Por que ela pode fazer tantas perguntas e ninguém pede para ela parar de ser chata e questionadora?”, pensou ela. Depois de algum tempo ela entendeu absolutamente tudo: um homem chegou ao local portando uma enorme filmadora em um tripé, e a mulher, usando um microfone, começou a gravar a explicação para o fato. Ela era uma repórter! Interrogação, a partir daquele dia, estava decidida sobre qual caminho seguiria. 
Interrogação formou-se jornalista e, no dia em que recebeu seu canudo, sentiu-se realizada. Não havia nada que ela gostasse mais do que averiguar fatos, apurar situações e, é claro, fazer perguntas. Interrogação, até hoje, anda por aí em nosso dia-a-dia, no final de frases e simbolizando o desejo de saber alguma coisa.
Talvez, todos nós tenhamos um pouco de Interrogação. O mundo é tão cheio de coisas, tão cheio de ideias e perguntas sem resposta... Tão cheio de Interrogação. O ser humano está sempre buscando o porquê de tudo, mas se esquece do que precisa se tornar antes de procurar tantas respostas e ser compreendido.

Nenhum comentário: