quinta-feira, 25 de abril de 2013

30 Days Writing Challenge: Dia #02

Dia 2 - Escreva sobre algo histórico

Fala, gestos e escrita são três ferramentas essenciais em nosso cotidiano. Acredito que todos nós algum dia já nos questionamos como as primeiras formas de comunicação surgiram e se aperfeiçoaram até chegar no nível que conhecemos hoje. Baseando-me na obra ''A Evolução na Comunicação: do Sílex ao Silício'' e mais especificamente no primeiro capítulo escrito por Barbara Giovannini, denominado ''Assim o Homem Inventou a Comunicação'', irei retratar de maneira breve e simples como o homem desenvolveu esse fantástico meio que hoje movimenta o mundo.
Inicialmente, é essencial falar sobre a chamada ''Fase Pré-Oral''. Ela é basicamente o período em que o homem pré-histórico ainda não possuía domínio sobre a fala, ou seja, não existia uma língua e muito menos uma escrita. O marco decisivo para a mudança até a ''Fase Oral'' foi quando o homem parou de devorar às pressas a carne crua e descobriu o gosto e o conforto em roda da fogueira, trocou informações e impressões entre si. Foi assim que se deu início a linguagem. 
Mas, quando de fato começou a fala humana? É muito difícil saber ao certo pois ''a vida social e linguística não deixa fósseis'', isto é, não é possível se ter registros concretos sobre o método que os pré-históricos utilizavam para se comunicar, ao contrário das pinturas, por exemplo. Supõe-se que a comunicação era igual a dos demais mamíferos, compostas de urros, gritos, grunhidos, etc. Com o aumento da massa cerebral o homem começou a observar ao seu redor e a linguagem passou a ser imitativa dos sons emitidos pela natureza. A sociedade oral era tribal, e a comunidade sempre foi um lugar de segurança para o homem. Mas, depois de desenvolvida a fala, como as sociedades que não possuíam nenhum tipo de escrita se fixavam? Ainda sem poder deixar seus registros para a história, o homem se apegava a provérbios, preceitos e receitas que ficavam na memória de alguns.
Finalmente, desenvolvido pelos Sumérios na Mesopotâmia, o primeiro tipo de escrita que se tem história surgiu: a cuneiforme. Ela era usada através de tábulas feitas de argila que contava com a mesma técnica de fazer tijolos. Elas surgiram da necessidade dos sacerdotes de controlar a contabilidade dos tributos devolvidos ao deus da cidade e funcionavam da seguinte forma: eram usadas facas de sílex (tipo de rocha), de metal ou de osso para gravar os caracteres nas lajotas antes de serem postas para secar. Primeiramente, a escrita cuneiforme abrangia apenas imagens chamadas ''pictogramas'', ou seja, o homem apenas representava o real através de desenhos de animais, utensílios, sinais abstratos, números, etc. Essa foi a primeira tentativa de fixar a linguagem, porém, não era possível a articulação de frases.
Trezentos anos mais tarde, o sinal passou a indicar um som, o que representou a passagem para uma espécie de escrita fonética, porém ainda limitada, pois os pictogramas não foram abandonados completamente. Para ilustrar um pouco sobre essa escrita ''misturada'' entre desenhos e sinais que representavam sons, é válido citar os hieróglifos do Egito Antigo, onde os primeiros escritos surgiram de rituais e cerimônias fúnebres que tinham certo valor mágico. Os hieróglifos egípcios eram a combinação de desenhos e sinais fonéticos não alinhados que eram dispostos em função de beleza. Como os egípcios representavam as coisas e pessoas de perfil, esse ser em questão servia de orientação de sentido para começar a ler. 
Exemplo de hieróglifo egípcio. Observe os personagens ilustrados que determinavam o sentido da leitura.
A escrita, de fato, finalmente teve seu estágio avançado com a invenção do alfabeto que remonta aos Fenícios ou até mesmo aos semitas da Síria, entre o II e I milênio. No entanto, o alfabeto fenício teve alcance limitado por não ser composto de vogais. Por exemplo: quando eu escrevo ''LV'', várias palavras podem surgir dessas duas consoantes. ''Luva'', ''louve'', ''Lívia''. A falta de vogais abria uma ampla possibilidade de significados, o que dificultava o entendimento da escrita. Foi então que surgiu o alfabeto grego, que possuía vogais e consoantes e veio por conta das transformações sociais que afetavam a Grécia. 
Como foi possível ver, a história da comunicação é repleta de suposições, especulações e uma série de incertezas. Entretanto, tudo isso serve de reflexão para que nós, seres humanos do século XXI, possamos entender mais sobre como o esforço, o desenvolvimento e as necessidades naturais de nossa raça foram fundamentais para a construção do sistema de comunicação tão racional e eficiente que usamos hoje.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Tags: Conhecendo-me Melhor


Olá, meus queridos leitores! Bem, hoje estou aqui porque fui indicada pela Caroline Ferraz do blog Puta Merda! para realizar duas tags. A primeira consiste em responder 10 perguntas, e a segunda pede que eu fale 11 coisas sobre mim e depois responda 11 perguntas. Ok, sem mais ti-ti-ti, vamos lá!

-PRIMEIRA TAG-

1) Como escolheu o nome do blog?
Bem, para quem não sabe, em 2012 eu passei um mês em Londres, Inglaterra, através de um programa de intercâmbio. Lá, eu assistia aulas diariamente e aprendia muito sobre a cultura do país, os hábitos mais comuns e, inclusive, palavras novas. Foi em uma dessas aulas que eu me deparei com a palavra ''quintessential'', para a qual a professora atribuiu o significado de ''típico''. Ok, fugindo de todo esse contexto e partindo para uma noite gelada de inverno quando decidi criar um blog e estava pensando em um nome, essa palavra invadiu minha cabeça. Além de soar bonita e misteriosa, tem quase o mesmo significado em português, porém partindo de um viés mais poético: ''a parte essencial e mais pura de algo''. 

2) Quanto tempo se dedica ao blog?
Ai, ai, ai. Pergunta meio difícil. Como eu entrei na faculdade há pouco tempo e ainda estou ''organizando minha vida'', não tenho passado muito tempo aqui no blog, e sinceramente acho que as coisas tendem a piorar (brincadeirinha, haha). Quero focar muito na Universidade, mas prometo que sempre que eu tiver tempo e, o mais importante, inspiração, irei postar aqui.

3) Já teve algum problema com comentários anônimos no blog?
Felizmente, não! Quando o comentário é construtivo e bem elaborado, anônimos são bem-vindos aqui.

4) Você se inspira em outro blog?
Não. Esse é o meu espaço e eu tento deixá-lo o mais original possível.

5) Quanto tempo está na blogosfera?
Sinceramente? Eu costumo criar blogs desde que eu era uma pimpolha na internet e descobri a plataforma do UOL. Foram sobre vários assuntos e coisas bizarras que eu até perco a conta, mas a diferença é que nenhum deles eu levei a sério como agora eu levo o Quintessência. Ele ainda não tem um ano, mas com certeza vai chegar lá.

6) Qual blog visita todos os dias?
Não há nenhum blog que eu visite assiduamente. Eu gosto de achar vários blogs por aí e sair lendo aleatoriamente. 

7) Quantos blogs visita por dia?
Uns 3 ou 4.

8) Quantos livros lê por mês?
Depende. Tenho vários livros aqui pendentes pra ler porque estou dando prioridade para os da faculdade. Mas tento ler no mínimo 1 por mês.

9) Já ficou sem inspiração para postar? Como superou?
Coooooom certeza! Acho que talvez esse seja o fantasma de todos os blogueiros. Quando eu fico sem inspiração eu costumo evitar fica pensando ''oh meu Deus, o que eu vou postar?''. Simplesmente deixo a minha mente limpa, começo a ver outras coisas e do nada surge alguma coisa.

10) Pretender mudar algo no blog em 2013?
Pretendo postar mais, isso sim! haha E talvez fazer um layout novo quando der.

-SEGUNDA TAG-

11 Coisas Sobre Vick

- Tenho emetofobia (medo irracional de vomitar). Sim, isso é muito bizarro, mas é algo que me atormenta muito e já me causou muitos problemas!;
- Sou ansiosa DEMAIS, tipo, mesmo. As vezes as menores coisas conseguem fazer com que eu entre em parafuso;
- Sou uma pessoa extremamente viciada em chocolate. Mas não é aquela paixãozinha clichê não, é simplesmente DEPENDER DE CHOCOLATE pra ter um dia bom. Acho que eu poderia comer uma barra por dia e não consigo consumir uma refeição sem saborear um bom chocolate depois;
- Já quebrei a clavícula (ou vulgarmente conhecida como ''saboneteira'') quando eu tinha 1 ano de idade;
- Tenho asco de qualquer tipo de inseto, aranha ou bichinhos voadores;
- Falo sozinha. Acho que se colocassem câmeras na minha casa eu seria internada em um hospício por conversar com o nada;
- Não gosto de leite puro, eca;
- Odeio admitir que estou errada. Sou muito orgulhosa nesse aspecto;
- Sou uma fã doida, alucinada e apaixonada pelo Tokio Hotel e odeio que me julguem por isso;
- Se tem uma coisa que me tira do sério, essa coisa é me olhar dos pés a cabeça com aquela cara de ''estou te observando''. Acho isso uma falta de respeito e há pessoas que não conseguem nem disfarçar;
- Gosto muito de comer Sucrilhos puro.

11 Perguntas Para Vick

1) Um sonho?
Ser bem-sucedida na profissão que eu escolhi. Acho que não há nada mais satisfatório do que fazer o que gosta e ainda se destacar por isso! Enfim, sempre que imagino meu futuro, me vejo sendo uma correspondente internacional. Sonhar não custa nada! haha

2) Uma coisa que não goste?
Acusarem-me de algo que eu não fiz.

3) Uma desilusão?
Desde pequena eu dizia que ia ser médica, mas descobri que isso não tinha nada a ver comigo.

4) O que faria se saísse o Euromilhões?
Ok, pelo jeito isso tem a ver com FICAR RICA, então eu primeiramente sairia deste país e investiria meu capital lá fora em estudos e negócios.

5) Um desafio?
Superar a minha ansiedade.

6) Prato favorito?
Comida é simplesmente tudo de bom, então como eu vou escolher só um? Mas ok, lá vai. Acho que o que eu mais gosto no mundo é arroz com galinha, tipo carreteiro. <3

7) O que te deixa feliz?
Ver o meu esforço sendo reconhecido, sentir que eu estou fazendo a coisa certa e agradando as pessoas certas.

8) Se o mundo acabasse agora, o que você faria?
Acho que eu ficaria desesperada e tentaria chegar até as pessoas que eu amo para me despedir.

9) Um desejo?
Estar ao lado de quem eu gosto.

10) Uma tortura?
Não saber o que o futuro me reserva. Sei lá, eu sou uma pessoa que muitas vezes planeja demais e eu fico tensa quando penso que posso me ferrar ou me dar bem na vida, basta fazer a coisa certa.

11) Uma viagem dos sonhos?
Alemanha!


Gostaria de agradecer a Line por ter indicado o Quintessência!
Até a próxima!

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Vida Nova

Olá, meus queridos leitores! Sei que já faz um tempo que eu não faço nenhuma postagem nova, portanto hoje estou aqui para contar a vocês um pouquinho do que está acontecendo em minha vida. Bem, a princípio, estou vivendo uma vida completamente nova. Aquela vida que você precisa sair da casa de seus pais, na qual você viveu desde que veio ao mundo, ir para uma cidade completamente desconhecida, residir em um espaço novo, pegar ônibus todas as manhãs, enfim, praticamente abandonar todos os cenários anteriormente conhecidos e partir para uma rotina completamente incógnita. Isso, meu amigos, chama-se a tal “vida universitária”. 

Creio que o primeiro dia na faculdade ninguém esquece. Recepção calorosa por parte dos veteranos, apresentação de professores... Tudo é tão novo! Parece que você embarcou num foguete e simplesmente desembarcou em outro planeta. Um turbilhão de informações e palestras, e no começo é muito difícil conseguir absorver tudo o que falam. Quando uma pessoa sai do Ensino Médio e vai direto ao Ensino Superior, onde as coisas são bem diferentes, o choque é inevitável. 

Eu estou cursando Comunicação Social – Jornalismo, meu sonho de vida. Eu não conseguiria me imaginar em outro lugar. Talvez em um consultório, escritório de advocacia ou comandando uma sala de aula... Err, bem, eu acho que não. Eu não gosto de rotinas, eu gosto do novo, gosto de sair para a rua e ver coisas diferentes, perceber, ser curiosa, observar, retratar, escrever, informar. 

É muito engraçado como muitas pessoas menosprezam o jornalista e a comunicação em si. Muitos dizem que “não dá dinheiro” ou “você não vai apresentar o Jornal Nacional”. Eu tenho uma resposta bem legal a todas essas pessoas: sabe quando você acorda pela manhã, liga a televisão e assiste às notícias do dia? Sabe quando você caminha até a banca na esquina da sua casa e compra o jornal? É possível ficar sabendo sobre tudo o que está acontecendo no mundo, desde os índices de economia até o “decote ousado da Débora Secco no último sábado”. Isso tudo é possível graças a uma grande equipe de pessoas que trabalha nas redações, que redige, edita, revisa, enfim, faz um turbilhão de coisas para que você possa estar informado enquanto toma seu café ou se arruma para o trabalho. 

A comunicação em si é uma profissão linda. É um jeito de falar com o mundo inteiro de uma vez só. Requer agilidade, responsabilidade e muita dedicação. É, durante os estágios, fazer tudo sem esperar nada em troca. É engrandecer o seu currículo com cada projeto, pesquisa ou ideia. Ser comunicador é um desafio. Um desafio que eu quero vencer.