quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Furioso Voltou Para Casa


Hoje eu estava voltando da escola quando encontrei um cachorro São Bernardo deitado perto da porta do prédio onde moro. Ele estava muito sujo, sarnoso e bastante fraco. Eu simplesmente adoro cães e eu senti que precisava ajudar aquele que estava ali, desamparado e sofrendo muito. Alguns minutos depois, duas mulheres vieram falar comigo e contaram que a dona do Furioso, nome dado ao cão por se extremamente dócil e manso, tinha o encontrado hoje e iria logo voltar para buscá-lo. Ficamos esperando algum tempo e a moça finalmente chegou, muito triste por não ter conseguido um carro para levar o Furioso para casa (que ficava MUITO longe). 

Conversa vai, conversa vem, ela contou uma história surpreendente: o cão tinha sido roubado de sua casa há um ano, quando ele tinha apenas três meses! Ela nunca soube o paradeiro do Furioso e, hoje, por um acaso, encontrou o animalzinho vagando pela rua. Como minha cidade é muito pequena, o cachorro já era bem conhecido no meu bairro. As pessoas sempre o alimentavam, davam água e ontem mesmo a ONG OPAA (Organização Protetora dos Animais de Alegrete) tinha vacinado o cão. Surpreendentemente, eu nunca tinha visto o Furioso por aqui! E o mais curioso é que nesse ''primeiro encontro'', eu já podia ajudá-lo. Um momento que me marcou bastante foi quando a moça chorou ao abraçar o Furioso. Isso demonstrava que ela realmente gostava e sentia saudades dele!

Meu pai chegou alguns minutos depois e nós nos oferecemos para levar a moça e o cachorro para casa. Ao chegarmos lá, ela agradeceu muito e disse que tínhamos feito a boa ação do ano. Eu me senti extremamente bem em ter ajudado aquela pessoa e aquele pobre animal. Foi um ato simples, mas que fez muito bem ao meu coração, e sei que hoje, quando eu deitar a minha cabeça no travesseiro, vou lembrar do que fizemos e vou sentir que o meu dia valeu a pena. Eu não sei o nome da dona do Furioso, ela também não sabe o meu nome e eu nem tirei uma foto dele sequer. Mas esse episódio vai ficar marcado pra sempre na minha lembrança.

E aqui vai a minha dica: qual é a razão de roubar um cão que está vivendo bem para depois abandoná-lo a própria sorte? Isso não tem nexo algum e uma pessoa que faz isso só pode ter um coração de pedra e um cérebro inexistente. Um animalzinho não é brinquedo. Ele depende dos donos para viver, comer e ter uma vida digna. Ele é da nossa responsabilidade!

A foto dessa postagem é em homenagem ao meu cão chamado Toddy, que não mora mais comigo e que eu sinto uma enorme saudade.

2 comentários:

Anônimo disse...

Adorei a historia, é um ato simples mais de enorme gratificação.

Vitória disse...

É verdade. \o/ Fez muito bem ao meu coração...