domingo, 5 de agosto de 2012

Reflexão Sobre Tecnologia vs. Pais

Em uma manhã ensolarada de sexta-feira, dentro de um ônibus e ouvindo música no volume máximo, comecei a me questionar: quantas horas de sua vida um adolescente passa em frente ao computador ou ocupado com alguma tecnologia? Creio que sejam muitas e muitas. Esse é um assunto meio clichê hoje em dia, mas eu realmente pensei e procurei entender o lado dos pais nessa história toda.

É definitivamente difícil criar um filho neste mundo cheio de tecnologia. No momento que a mulher fica grávida, os pais já desenvolvem um amor incondicional pela criança. Eles fazem planos, imaginam coisas, preparam tudo para o momento que aquele filho ou filha chegar. Quando o bebê nasce, os pais procuram colocar o ”plano de criação” em prática. Tudo o que eles querem é o nosso bem-estar, nos proteger de qualquer tipo de malefício e também nos agradar. E é aí que os problemas começam.

Movidos pelo intuito de nos fazerem felizes, os pais fazem de tudo para nos dar do bom e do melhor. À medida que a criança cresce, as tecnologias vão entrando aos poucos em sua vida, desde o primeiro Mini Game até o último computador do mercado. Só que aparelhos eletrônicos têm o misterioso dom de prender as crianças/adolescentes. Eles acabam passando horas e horas na internet ou jogando video game. Os pais literalmente acabam perdendo os filhos para a tecnologia quando eles deixam de sentar na sala para conversar ou começam a fazer as refeições no quarto.

Então eu penso comigo: você cria seu filho com todo o amor e carinho, ensina valores, mostra os caminhos certos e ele acaba dando preferência a um mundo totalmente artificial. Isso é difícil. Os pais também precisam de carinho e atenção. Eles também chegam cansados do trabalho, assim como você chega de saco cheio da escola. Eles também ficam doentes e precisam de cuidados, assim como você sente uma dor de barriga e vai correndo para o colo da mãe. Nossos pais sempre estão lá por nós, então acho que é hora de nós também estarmos lá por eles. O computador, o iPad, o celular ou seja o que for, pode sempre esperar.

Não veja seu pai e sua mãe como as pessoas que apenas te sustentam e te dão o melhor celular - veja eles como a base de tudo. Veja eles como as duas pessoas que mais querem ver você bem e vão estar sempre contigo, não importa o que aconteça. Talvez, quando nós nos tornarmos pais ou mães, vamos entender tudo isso e acabar virando os ”chatos” da história sempre dizendo: “sai desse computador e vem aqui, menina!”

Nenhum comentário: