sábado, 25 de agosto de 2012

Erros Grotescos de Português


Uma coisa que geralmente me deixa bastante irritada é ver erros de português na internet ou em qualquer outro lugar. Eu sei que isso acontece muito e nunca vai deixar de existir no mundo, mas acho que está faltando um pouquinho de esforço por parte das pessoas em tentar aprender e memorizar a forma correta de escrever e o uso de algumas palavras que frequentemente são assassinadas por aí.

Podem até me chamar de preconceituosa ou de qualquer outra coisa, mas eu admito que acabo julgando as pessoas pela maneira que elas escrevem. Eu não sou uma gênia do português e ninguém é obrigado a ser. Eu cometo meus erros e não consigo escrever perfeitamente, mas eu faço o que posso e sempre procuro me informar antes de escrever uma palavra que tenho dúvidas sobre a grafia correta. Se você tem preguiça de pegar um dicionário, existe uma ferramenta ultra poderosa hoje chamada Google. É só jogar lá e pimba! É impossível não achar como se escreve palavras do tipo ''exceção'', que sempre acabam gerando dúvidas em quase todas as pessoas.

Ler é uma coisa que ajuda muito! A partir do momento que você entra em contato com livros/jornais/revistas ou até mesmo pequenas notícias na internet, seu vocabulário enriquece muito e sua facilidade para escrever só tende a aumentar. É tudo uma questão de prática, e acima de tudo, força de vontade. Escrever corretamente é essencial nos dia de hoje. Vestibular, concursos, entrevistas de emprego e todas as profissões necessitam de pessoas com uma boa qualificação, mas eu acredito que um português correto deve valer tanto quanto um diploma.

Abaixo, fiquem com três erros que mais me tiram do sério:

- MAIS | MAS
MAIS: advérbio que indica intensidade.
MAS: conjunção que pode expressar oposição, ressalva ou restrição.

São duas palavras com sentidos completamente diferentes mas as pessoas insistem em usar da seguinte maneira:

''Eu não gosto de brócolis mais vou precisar comer.''
''Eu não gosto de brócolis mas vou precisar comer.'' 

- NADA A VER | NADA HAVER
HAVER: verbo que significa ter, possuir, alcançar, conseguir, obter, receber.

É errado escrever ''nada haver'' porque há o verbo ter na frase, o que significa uma redundância e erro gramatical.

''Não tem nada haver com você.''
"Não tem nada a ver com você.'' ✓

- COM CERTEZA | CONCERTEZA
CONCERTEZA: essa palavra não existe.

''Com certeza Maria irá trabalhar hoje.'' ✓
''Concerteza Maria irá trabalhar hoje.''

Enfim, ainda existem infinitos equívocos circulando por aí e essa é uma realidade bem difícil de ser mudada. Mas creio que se todos tivessem um pouquinho de cuidado na hora de escrever, tenho certeza que haveriam menos ''concertezas'' no mundo.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

''The Devil Inside'' - Horror Barato


Hoje eu fiquei extremamente decepcionada. Desde o ano passado que eu estava na expectativa de assistir ''The Devil Inside'' (ou ''Filha do Mal'' no jeitinho brasileiro). Como eu já disse aqui no blog, eu gosto de filmes de terror e depois de ter assistido o trailer desse, mal podia esperar para ver. Basicamente, o filme conta a história (dita como baseada em acontecimentos reais) de Isabela Rossi, cuja mãe Maria Rossi matara três pessoas no final dos anos 80 quando ela tinha apenas 8 anos. O homicídio triplo acontecera durante um exorcismo que estava sendo executado na própria Maria. Duas décadas depois, Isabela vai a procura da mãe que está internada em um hospital psiquiátrico em Roma e tenta investigar o que realmente se passou. Com a ajuda de dois jovens exorcistas italianos ela tenta livrar Maria de nada mais nada menos que quatro demônios que habitavam o corpo dela.

Pois bem. A história parece ser bem digna de um filme de exorcismo, não é? O trailer de ''The Devil Inside'' é totalmente bem feito e misterioso e tem a capacidade de deixar qualquer um maluco para ver o filme. E depois de ver, é impossível não ficar decepcionado. Começando pela frase ''slogan'' na capa: ''O filme que o Vaticano não quer que você veja.'' É de se imaginar que a história revele algum segredo, mas a realidade é que ela não mostra nada que outras histórias já não tenham mostrado. Primeiramente, o filme é todo em forma de documentário, o que na minha opinião já estraga tudo. A câmera dá a impressão de algo mais ''caseiro'', como em Atividade Paranormal (aliás, acho que agora virou moda fazer filmes desse tipo, né?). O longa-metragem tem uma duração de aproximadamente 83 minutos e apenas DUAS cenas inteiras de exorcismo, que duram no máximo 10 minutos. As outras partes são entediantes e não chamam a atenção de quem está olhando. Depois, quando o filme começa a ficar interessante e você acha que algo vai valer a pena, puf: ele simplesmente acaba!

Eu cheguei a conclusão que ''The Devil Inside'' foi apenas uma obra cinematográfica barata para arrancar dinheiro das pessoas e iludir todos aqueles que gostam de um bom filme de terror (e realmente funcionou, porque ele superou até Missão Impossível 4 financeiramente) . O trailer foi um meio muito eficiente de fazer as pessoas se deslocarem até o cinema mais próximo e comprar um bilhete para um dos piores filmes da história. Se você ainda não assistiu e está pensando em assistir, aqui vai o meu conselho: se você não gosta de decepções, por favor, não assista. E se você gosta, mesmo assim, também não assista. Eu realmente não recomendo ''Filha do Mal''. É o típico filme que começa do nada e termina em lugar nenhum. E mesmo que tenha uma continuação, não me darei o trabalho de assistir.

domingo, 5 de agosto de 2012

Reflexão Sobre Tecnologia vs. Pais

Em uma manhã ensolarada de sexta-feira, dentro de um ônibus e ouvindo música no volume máximo, comecei a me questionar: quantas horas de sua vida um adolescente passa em frente ao computador ou ocupado com alguma tecnologia? Creio que sejam muitas e muitas. Esse é um assunto meio clichê hoje em dia, mas eu realmente pensei e procurei entender o lado dos pais nessa história toda.

É definitivamente difícil criar um filho neste mundo cheio de tecnologia. No momento que a mulher fica grávida, os pais já desenvolvem um amor incondicional pela criança. Eles fazem planos, imaginam coisas, preparam tudo para o momento que aquele filho ou filha chegar. Quando o bebê nasce, os pais procuram colocar o ”plano de criação” em prática. Tudo o que eles querem é o nosso bem-estar, nos proteger de qualquer tipo de malefício e também nos agradar. E é aí que os problemas começam.

Movidos pelo intuito de nos fazerem felizes, os pais fazem de tudo para nos dar do bom e do melhor. À medida que a criança cresce, as tecnologias vão entrando aos poucos em sua vida, desde o primeiro Mini Game até o último computador do mercado. Só que aparelhos eletrônicos têm o misterioso dom de prender as crianças/adolescentes. Eles acabam passando horas e horas na internet ou jogando video game. Os pais literalmente acabam perdendo os filhos para a tecnologia quando eles deixam de sentar na sala para conversar ou começam a fazer as refeições no quarto.

Então eu penso comigo: você cria seu filho com todo o amor e carinho, ensina valores, mostra os caminhos certos e ele acaba dando preferência a um mundo totalmente artificial. Isso é difícil. Os pais também precisam de carinho e atenção. Eles também chegam cansados do trabalho, assim como você chega de saco cheio da escola. Eles também ficam doentes e precisam de cuidados, assim como você sente uma dor de barriga e vai correndo para o colo da mãe. Nossos pais sempre estão lá por nós, então acho que é hora de nós também estarmos lá por eles. O computador, o iPad, o celular ou seja o que for, pode sempre esperar.

Não veja seu pai e sua mãe como as pessoas que apenas te sustentam e te dão o melhor celular - veja eles como a base de tudo. Veja eles como as duas pessoas que mais querem ver você bem e vão estar sempre contigo, não importa o que aconteça. Talvez, quando nós nos tornarmos pais ou mães, vamos entender tudo isso e acabar virando os ”chatos” da história sempre dizendo: “sai desse computador e vem aqui, menina!”